Maria Fernanda

“Como os oceanos tinham níveis muito baixos de água, era possível caminhar do sul da Inglaterra até a França, e continuar andando. Se não fosse impedido por outros humanos, até chegar a Java”. (livro: Uma breve história do mundo). Então fico imaginando como há coisas a aprender na geografia de nossa história. Esse é um planeta que ainda retém riquezas que não se pode avaliar. Cada leitura vem repleta de abastanças... Repensar na crueldade do homem com tudo isso é o caos. Cada um fazendo a sua parte era utopia demais, e o quadro ficou exposto sem cuidado e a paisagem começa a borrar nas laterais, meio e... Fim? Eu suponho que até os primórdios já viviam a saga. Caminho em alerta. Descrever a fundo teria que exigir experiência. Tornasse nômade por descobertas. Amo o planeta, isso eu bem sei dizer. E cada dia vale o investimento porque pouco oferecimento não me move. ✿Maria Fernanda✿

o amor é um elo

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Refreei

Um romance antigo...
Uma espera, o relógio seguindo seu curso, o tempo não para...

Dificilmente o encontro seria tão fácil, e não bastaria mudar o roteiro.
Preparar-se...
Olho em volta, eles estão crescendo e eu com eles.
Um dia...
Tudo mudou tão lindamente, eu poderia dizer agora era uma vez.
Tudo se tornou real desde que as pedras cessaram.
Sentir saudades das vivências? Tudo foi como deveria ser.
Chegou o momento de ser diferente e foi.

Vejo o céu em noites de estrelas, e sei que você está no brilho de alguma delas, sinto o toque de seu carinho num estalar de um beijo, com você eu pude conhecer o que é ser humano, o que é caridade e carinho.
Tudo bem, pode deixar, eu não vou chorar.
Eu só queria contar que pulei mais um obstáculo viu?
Você merece saber porque apostou em mim, quando nem eu mesma conseguia ter essa certeza.

Eu vi o céu azul hoje cedo, e o sol apontando no horizonte, então pensei: ela deve estar teando nas nuvens. Os valores não são presentes de gregos, o Senhor do alto os modelou com pérolas únicas.
Eu refreei minhas lágrimas, mas é difícil quando a saudade me lembra teus olhos doces.
Mas vivemos coisas tão lindas né vó?
Obrigada por seu modo de amar.
Aprendemos uma com a outra.
Por isso não posso dizer adeus, sei que não poderia dizer.

Então vejo o céu quando preciso saber de ti, quando careço desse “colo”.
Não é porque esteja triste, mas porque o especial é eterno.
O meu jeito é esse, é assim que sou.
Desse jeito onde sempre tudo começa e sorrio de dentro pra fora.
Você disse que nunca queria me ver chorando lembra?
Mas eu te disse que seria impossível.
Tenho sensibilidade na menina dos olhos, no entanto, o sentir começa no coração.
Quando sinto saudades tenho tentado ser forte, cumprir mais um pedido teu.

Tenho o mais belo tesouro e sei que tu te orgulhas disso.
Então é isso vó, eu quero mandar um beijo.
Eu estou bem e muito feliz.
____________


Maria Fernanda

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Momento...

Moço dos meus encantos,
Que me abrigou num lugar cheio de amor e de carinho,
Que me mostrou que poderia segurar meu coração nas mãos e beijá-lo docemente,
Que me deixou sentir essa doçura,
Que aguçou os meus anseios,
Que me inebriou de sentimentos.
Você, poesia que eu escrevo em verso e prosa,
Necessidade que banha minha alma com gotas de um querer, de um precisar, de um não saber de mim quando não estou perto de ti.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Recordações...

Chegou cedo na feira, os caixotes empilhados ainda, a senhora das frutas e verduras, ainda não havia chegado. Ela senta num cantinho e observa seu Maurício com os caixotes nas costas, quis pegar dois caixotes de uma só vez, uma artimanha mesmo pensou.
Em seguida um dos caixotes despenca e caem frutas para todos os lados. Ela levanta e vai ajudar, mas uma das pontas do caixote estava atrás e ela não viu, seu pezinho foi de encontro ao prego.
Puxou o pezinho, mas o prego veio junto. Apressada puxou o prego do pé, tão rápido para seu Mauricio não perceber.

Então a alegria dela foi ganhando uma dorzinha fina, foi para o outro lado da quitanda e ficou olhando o machucado. Depois lembrou do mar, seu amigo mar, ele pode fazer parar de doer com sua água de sal. Lá foi a menina no rumo do mar.
A dor continuava mais forte e a noite chegando, então ela sentou-se ali mesmo, seu corpo estava muito quente e ela chorava e chorava.
Mas agora não conseguia mais ficar ali naquela caixa, tinha que falar com alguém, um adulto.

Assim caminhou e caminhou, depois ia pulando só de um pé, depois tentava caminhar de novo, mas já tremia de frio, e as coisas pareciam tão cheias de curvas.
Ela cai e quando acorda, percebe um rosto conhecido, ainda bem.
Menina onde passou o dia, que não te vi na feira?
Está ardendo em febre. E esse pé? O que aconteceu com ele?

Ela - Foi o caixote do seu Maurício que caiu e eu fui ajudá-lo, então pisei num prego.
Dona Maria, nem quis saber do resto, já foi levando a menina ao homem de branco, aquele que usava um aparelhinho estranho.
E o pavor da menina ao ver aquela agulha?
Mas o moço de branco a tranquilizou.

Ele perguntou se aquele machucado estava doendo muito.
A menina com lágrimas no rosto, um choro calado só balançava a cabeça afirmativamente.
Então ele disse. Pois eu prometo querida, que isso aqui irá doer menos que seu machucado, e logo vai passar a dor aí dentro tá?
Ela - Tá.
Ele então enfiou aquilo no pezinho dela e depois cortou e cortou de novo, mexeu lá dentro e depois costurou, como costura roupa rasgada.

Ela observava...

Depois outro aparelho com agulha no braço e mais outro.
Ela - Moço eu posso ficar aqui hoje?
Ele disse mas sua mãe está lá fora esperando você menina.
Ela - Não, ela é dona Maria, a senhora que vende frutas e verduras na feira.
Ele - Sim e cadê seus pais?
Ela baixou a cabeça e não levantava.

Ele pegou no rostinho dela e lhe perguntou: Como se chama?
Ela - Fernanda.
Ele - onde você mora Fernanda?
Ela - Na rua.
Ele - Aquela senhora cuida de você?
Ela - Não. É que eu ajudo a guardar as frutas e ela me dá café com pão, ou então fruta, e eu vou para a escola depois.
Ele - Mas ela sabe que você mora na rua?
Ela - Ela nunca me perguntou. Moço será que eu posso ficar aqui hoje?
Ele - Pode sim, agora procure dormir.

Depois dona Maria vai até ela e lhe diz que precisa ir para casa, e que o médico falou que ela iria ficar lá naquela noite. Nisso o esposo de dona Maria zangado, chama por ela e ela não tem tempo de se despedir e se vai.

O médico volta mais tarde com um lanche.
Ele - Tenho que avisar a assistente social que você está aqui.
A menina quis pular da cama.
Ele - Não tenha medo mocinha, ela irá cuidar de você muito bem. Vai lhe levar para um lugar onde tenha outras crianças, e uma caminha e comida. Você precisa de cuidados com esse machucado.
Ela - É um orfanato?
Ele - Talvez.
Ela - Não precisa não moço, eu já tenho meu lugar de ficar.

Ele -Menina, a rua não é lugar para garotinhas.
Ela - Mas eu já cresci, tenho muitos amigos, tenho até um que é muito gigante.
Ele - Ele É? Então me diz o nome dele?
Ela - É mar.
Ele - Emar? Emar de quê?
Ela - Não moço, mar, aquele que tem ondas e água, e barco, e peixe.
Ele - Háá. Escuta Fernanda, mar não é gente.
Ela - Eu sei.
Ele - E então?
Ela - Mas é meu amigo.

Ele - Sim, agora  eu vou precisar ir, vá dormir, amanhã vamos ter novidade para você tá?
Ela - No orfanato?
Ele - Sim. Você irá gostar.

Momentos depois...

Ela – Deus, se eu levar esse lençol só hoje para me cobrir e amanhã vir devolver, vou estar roubando? Diz alguma coisa Deus, eu preciso fugir de novo.
Nisso entra uma moça de branco e me dá uma pílula.
A moça - Ainda acordada querida?
Ela – Sim, estou sem sono. Moça, vocês tem muitos lençóis desses?
A moça - Na medida certa.
Ela - Então você me empresta esse aqui, e eu te devolvo pela amanha?
A moça - Claro querida é seu.
Ela - Obrigada Deus, a moça deixou comigo, amanhã eu trago de volta.

Então a menina sorrateiramente saiu de lá com o lençol.
Aquela noite estava muito fria e ela precisava se aquecer.
No outro dia, com o pezinho gordo, e mancando levou de volta o lençol, mas lá perto pediu para seu amigo Rafa deixar dentro do balde.
Pronto já devolvi, pensou.
Agora ela sabia que carecia apenas de repouso, e para isso tinha o banco da praça.

Autoria: Maria Fernanda

Pensando...

Devemos valorizar o bem que carregamos na alma.
Os lobos estão em cada esquina, aff!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Para todas as horas


Companheiro, namorado.
Meu amigo querido acima de tudo...
É assim que me desvendo, quando o meu coração bate tão forte.
Eu te amo tanto, tanto...
As nuvens são o chão quando estou entre teus braços.
Não se pode explicar essas coisas por mais que se tente.
Eu não fazia ideia como o amor é altissonante!
Mas sabia senti-lo, sem saber explicar.
É tão fácil desvendar como é tocar teu semblante e sentir tua alegria, quando fecho os olhos.
Ilumina-se tudo, e o brilho reluz iluminando teu riso farto e doce.
Sabemo-nos dessa troca porque nos amamos.
_______

Fernanda

Podemos

Decidi ser feliz!
Não importa se eu não tenho todas as cores da alegria, é assim que me sinto.
Eu decidi sempre perdoar...
Lutar pelo que acredito é a minha forma de viver.
Decidi...
Não me deixar comparar porque sou única!
Decidi...
Me sentir livre e voar...
O que me diz? Talvez ache que minha maneira de entender é desajustada, exagerada.
Só luto por algo melhor, real.
Não vejo chiste aqui, apenas doação.
Quando damos recebemos.
É maravilhoso amar.
Enquanto toco suas mãos e olho seu riso, posso tocar sua alma, enxugar seu coração.
Ame seu próximo, ame apenas...
Podemos ser união e isso é um grande triunfo.
Podemos ser mais que pessoas que passam.
Podemos ser irmãos.

_____________

Fernanda

Cada passo

Não há errado quando há sentimento.
Não há certezas quando estamos tão confusos.
Há um caminho de iguais para cada ser.
Não quero ser melhor e nem pior, sou apenas eu, um ser humano que aprende, que concerta, que perdoa, que ama, não quero fazer o que não está na minha essência, nem prometer o que eu não posso desempenhar.
Não julgo se alguns fazem sempre tudo idêntico, apenas sou o que sou e não me comparo a ninguém.
Se precisar saber além do que eu sei, de alguma forma vou aprender.
A vida é um livro cheio de instruções, e ninguém nasce com mapas do caminho.
Cada detalhe de mim pode ter certeza, desde lá detrás eu sei contar.
Aprendi que as quedas nos fazem sábios, porque nos tornam grandes.
Seguir em frente foi tudo que eu fiz, quando olhar para trás feria minha alma.
Há estrelas em minha visão todos os dias, mesmo quando no céu parece chover.
Estou seguindo o meu caminho, e nele há milagres de amor.
Eu vejo um arco-íris num céu de promessas, e no alto de tudo eu vejo meu lar.
O lar que eu precisei tantas vezes, aquele que fiz com pincel na tela da memória.
O que eu não posso fazer? Posso tudo naquele que me fortalece.
Não me diga o que eu não posso fazer, quando tenho as tintas e as cores.
Autêntica, fidedigna, legítima é o que alcanço e toco como uma rocha.
Orgulhosa do que conquistei, é como me sinto.
O que eu não pude tocar com as mãos eu toquei com a fé.
Segurei firme no amor e não tropecei.
Como poderia, se eu tinha a base entre as nuvens e voos de pássaros?
Eu sabia que de alguma forma a presciência era Dele (Deus).
O Pai que nunca me desamparou. Com ELE se sobe os mais altos degraus, o cume do mundo.
Cada passo que dou é na direção do AMOR.

__________

Fernanda



Porque somos

Esta é a data que eu jamais quero esquecer,
Momento único onde iniciamos o afeto.
Esta é a data que bordou meu coração com fios de amor eterno.
Momentos que sustentam a certeza.
Onde posso encontrar o caminho? Na luz dos teus olhos.
E tudo que reflito está diáfano.
O que posso dizer? Se tudo o que penso está em meus lábios em forma de riso.
Esta é a época de gritar minha felicidade.
Eu encontrei a roda do tempo, do amor, ela é firme como a rocha.
Contornando, revolvendo, tornando...
Eu posso tocá-la e você pode sentir.
É tudo o que cremos e se deu.
Esta é a nossa data meu amor!
Onde conduzimos nossa história, e conquistamos o troféu.
Temos uma família linda.
Cada busca foi preenchida, cada degrau e sua subida ainda exigem de nós um desígnio.
Mas sabemos como escolher.
Não estamos sós e não arriscamos nada.
O amor nos ilumina as ideias, porque estamos juntos, porque somos eu e você.

_______________

Fernanda

Sempre

Nós...
Somos dois em um,
Brisa e mar.
Quando velo teu sono nas noites fartas de estrelas, vejo o quanto brilhas para mim.
Tenho um pedaço do céu ao meu lado.
Êxtase...
Quando suas mãos tocam meus cabelos, sinto que há uma melodia nisto.
Somos unos...
E eu sabia que seria assim no momento em que meus olhos e os teus se contemplaram.
E pela primeira vez eu conheci a grande energia do amor.
O fio que liga uma alma a outra, o milagre, divisão e união.
Ainda que eu dê vários nomes para todo sentimento, eu não conseguiria descrever detalhadamente, o que é amar e me saber tão amada.
No entanto sentir e viver é a melhor definição.
*****
O rio segue para o oceano.
Eu passo os olhos nele e revejo como um filme cenas minhas.
E tudo que precisei esquecer ou deixar por lá,
Ansiedades, gargalhadas, necessidades, tentativas...
O curso das águas segue...
Conquistei sonhos, os transformei em bússolas e fui rumo a acontecimentos diferentes, sem temores.
Cuidei da melhor maneira que eu sabia de mim e destes receios.
Cada pedacinho de história sempre estaria comigo, mesmo quando as lembranças disto tudo fossem vagas.

____________

Fernanda

Escolha

Olhe bem à sua frente, siga a direção.
A luz brilha no horizonte.
A escolha será minha, sua, sempre, e se é assim então porque não escolher a felicidade?

____________
Fernanda


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

:-0

E uma estrela anunciou no meio do céu quando uma noite me trazia lágrimas nos olhos.
De essência a essência senti que algo ali mudaria, e mudou.
Não queria sentimento fugaz, queria um que me abarcasse inteira e que estivesse comigo em todas as circunstâncias.
__________
Fernanda

Respostas...

Quero um sonho que possa encontrar
E uma razão para entender o egoísmo que assola o mundo.
A lágrima que chora os olhos pela indiferença.
Eu quero entender o grito de amor, num eco apenas.
_________
Fernanda

Quero

Da primavera eu quero flores bem simples, cores, canto de passarinhos...
Huuum isso é viver!
____________

Fernanda.

Brilho.

A chuva embalou meu sono, e eu dormi aconchegada no barulhinho dela.
Hoje o dia nasceu frio, e eu adorei me agasalhar no casaco dele, e no meu gorro de moleca.
Risos...

Fernanda.
Agora tenho abrigo, um verdadeiro motivo.
Uma luz que me mostra o caminho.
Aquele do mar azul.
 
 
Fernanda
Como o espinho machucou meu coração? Lhe respondo que era sua defesa.
Mas preciso das flores, preciso pousar em lugares macios vez em quando...
 
Fernanda
___________

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Adrenalina

Olhar para ele, me deixa feliz!
É como se as estrelas do céu, pairassem sobre minha cabeça.
Minha mão toca sua face enquanto ele apenas me olha, e seus olhos marejados me falam de amor. E então  entendo porque existe  poesia no coração das mulheres.
Porque já nascemos com o coração apaixonado.



(Autoria: ♥Fernanda♥)

Quem sabe?

Quando ele me abraça,  percebo o quanto Deus me guiou para ele de uma maneira providencial, e duradoura. Parece até que eu já o tinha encontrado antes, e trocamos olhares de promessas futuras quem sabe?

Autoria:
Fernanda

Sei bem

Amizade é: quando você nem precisa olhar nos olhos, mas sente na alma que aquela pessoa é especial.