Maria Fernanda

“Como os oceanos tinham níveis muito baixos de água, era possível caminhar do sul da Inglaterra até a França, e continuar andando. Se não fosse impedido por outros humanos, até chegar a Java”. (livro: Uma breve história do mundo). Então fico imaginando como há coisas a aprender na geografia de nossa história. Esse é um planeta que ainda retém riquezas que não se pode avaliar. Cada leitura vem repleta de abastanças... Repensar na crueldade do homem com tudo isso é o caos. Cada um fazendo a sua parte era utopia demais, e o quadro ficou exposto sem cuidado e a paisagem começa a borrar nas laterais, meio e... Fim? Eu suponho que até os primórdios já viviam a saga. Caminho em alerta. Descrever a fundo teria que exigir experiência. Tornasse nômade por descobertas. Amo o planeta, isso eu bem sei dizer. E cada dia vale o investimento porque pouco oferecimento não me move. ✿Maria Fernanda✿

o amor é um elo

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Poesia sem véu






Glamour,
Visão dos expectadores...
Há grandes papéis
Há poesia
Há experiências
Há amor e isso é o mais importante.
Uma bela definição? Talvez.
Mas o que toca fundo em meu peito é Deus
e o domínio do bem
Arte e característica sem mudanças de exterioridades.
Então a manhã se completa
com uma áurea de plenitude
é o sentido.
Exponencialmente eu vejo o amor como o mais belo conhecimento
que podemos alcançar se ansiarmos.
Amar é poesia séria eu diria.
Sou uma das admiradoras desse "cara"o AMOR
e essa é a parte mais importante.
O dia está vibrante, cheio de profundidades,
Transformações pertinho do coração.
Que floresçam em nós essa poesia sem “vestes”
pura totalmente exposta nos atos
no olhar
na linguagem
Que a palavra seja lançada verdadeira
com prudência
revelando cada sentimento.
Que o vejamos como a lagarta
que ganhou asas numa borboleta.
Se empolgue com o amor
Não deixe de dizer o que pensa
apenas diga com jeitinho mas diga!
A mentira é como ruga
que se forma na pele.
Ela vai envelhecendo sua vida
até tomar sua alma.
É radical o que escrevo? Talvez
Mas eu prefiro minha alma
lisinha, lisinha
como poesia sem véu


Bom dia!

6 comentários:

  1. Que lindo! :) O que seriamos nós sem o amor... Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  2. Mentira não fica nunca legal! E o amor é mesmo "o CARA".... LINDO! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. "Quero um poema, mesmo que imperfeito, mas que fale de amor"...
    Sem o amor verdadeiro é como se houvesse um frio em tudo o que nos cerca.
    Gostei do poema. É belo e inspirador.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. A poesia deve ser sem véu nem casca... afinal, como disse a saudosa Natália Correia, poesia é para comer.
    Magnífico poema, gostei imenso.
    Fernanda, um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Fê!
    Nhá! Lindo demais!
    Também prefiro a verdade, ainda que doa, a uma mentira enfeitada!
    Seus versos finais: nossa!
    O modo como você (d)escreve o amor... Bom, sempre me faz (re)pensar!

    Beijos! =)

    ResponderExcluir
  6. Lindíssima poesia sem véu, na medida certa deste coração apaixonado pelo "cara" que faz de nós seres vibrante e cativantes pela verdade do sentimento puro e maduro em plena revelação.
    Lindo Fernandinha.
    Bjs de paz menina.

    ResponderExcluir

Tenho olhado o tempo...
Quando estou tomando um café, ou na varanda.
Quando estou mergulhada nos livros, ou no trabalho.
Ele me diz: Paciência Fernanda.
Sim tempo, eu tenho paciência...

Fernanda Marinho